28 de jan de 2013

[Filosofia] NIETZSCHE – A História e as Ciências





por Pedro Luso de Carvalho


O filósofo alemão Friedrich Nietzsche, que teve sua moral baseada na cultura da energia vital e na vontade do poder que eleva o homem até a categoria de super-homem, como se vê em Assim Falava Zaratustra, sua obra mais importante, nasceu em Rökken, perto de Lutzen, em 1844, e faleceu em Weimar, em 1900. Vejamos o que diz sobre Nietzsche a Enciclopédia Judaica Castelhana, publicada no México em 1950:

“Filósofo e poeta lírico alemão 1844-1900. Seus escritos têm exercido profunda influência, e foi ele quem cunhou expressões tais como super-homem, transmutação de valores, espírito senhoril, etc. Os nazistas a princípio adotaram conceitos nietzschianos, mas tiveram de abandonar as obras de Nietzsche ao se darem conta de que as obras dele estavam muito longe de oferecer fundamentação ideológica ao nazi-fascismo.”

Segue de Friedrich Nietzsche, A História e as Ciências (In Nietzsche. O livro do Filósofo. Tradução Antonio Carlos Braga. São Paulo: Escala, 2004, nº 43, p. 23):



[ESPAÇO DA FILOSOFIA]


A HISTÓRIA E AS CIÊNCIAS
(Nietzsche)



A história e as ciências da natureza foram necessárias contra a Idade Média: o saber contra a crença. Contra o saber dirigimos agora a arte: retorno à vida! Domínio do instinto do conhecimento! Reforço dos instintos morais e estéticos!

Isso nos parece como a salvação do espírito alemão para que seja, por sua vez, Salvador!

A essência desse espírito passou para nós na música. Agora compreendemos como os gregos faziam depender da música sua civilização.



*  *  *