3 de abr de 2013

[Conto] NELSON RODRIGUES – Trama



  
-  PEDRO LUSO DE CARVALHO


NELSON RODRIGUES (1912-1980) jornalista, cronista, ficcionista – romancista e contista – e dramaturgo (o mais importante dramaturgo do século XX), legou-nos uma obra de inestimável valor literário. Nas suas obras ataca o mundo pequeno-burguês com ferocidade, embora ele próprio tivesse sido criado no ambiente da pequena burguesia. Suas principais peças são: Vestido de noiva (1943), Álbum de família (1945), A falecida (1953), Beijo no asfalto (1960), Toda nudez será castigada (1965).

Segue o conto Trama, de Nelson Rodrigues (In A vida como ela é.../Nelson Rodrigues – Rio de Janeiro: Agir, 2006, p. 345):


              [ESPAÇO DO CONTO]


               TRAMA
                      ( Nelson Rodrigues )         



Foi mais ou menos por essa época, que o médico da família anunciou: Moema não poderia ter filhos, nunca. Foi uma grande tristeza, porque mulher e marido adoravam crianças. Passa-se o tempo. Um dia, entra Abgail no quarto de Moema. Pela primeira vez, revela a obsessão antiga: "Tu me tiraste o homem que eu amava e eu..." Pausa. Diz, sem desfitá-la:

– Vou ter um filho. Sabes de quem?

Moema, que estava sentada, ergueu-se. Pousou a mão no ombro da outra, num cuidado instintivo: "Senta, senta!" A outra obedeceu, atônita. Moema continuou, já chorando:

– Deus abençoe o filho do homem que eu amo!

Durante largo tempo, choraram em silêncio, unidas e amigas como duas irmãs, duas gêmeas.


*  *  *